Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial -> Outras publicações -> Serviço de Comunicação Social -> Editoria de Notícias Externas -> Grupo define quatro diretrizes para o plano emergencial ( * )
Início do conteúdo da página

Grupo define quatro diretrizes para o plano emergencial ( * )

Publicado: Quarta, 13 de Julho de 2005, 06h32 | Modificado por: | Última atualização em Quarta, 13 de Julho de 2005, 06h32 | Acessos: 1308
O Grupo de Trabalho Estadual traçou ontem quatro diretrizes para as
ações emergenciais nos municípios atingidos pela seca verde. A
decisão foi tomada em reunião no Departamento Nacional de Obras
Contra as Secas (Dnocs).

Coordenador do grupo de trabalho, o diretor geral do Dnocs, Eudoro
Santana, enfatizou que as ações ficam a cargo do Governo do Estado
até o dia 15 de agosto e, a partir desta data, passam para a
responsabilidade do Governo Federal, sendo comandadas pelo
Exército Brasileiro.

“A proposta da comissão, para que haja uniformidade na distribuição e
controle da água, é que este trabalho seja feito somente pelo Exército”,
disse.

Os quatro pontos para o desenvolvimento das ações são:
abastecimento emergencial de água; alternativa de abastecimento;
obras estruturantes; e segurança alimentar.

O abastecimento para os 33 municípios que estão em estado de
emergência será realizado por carros-pipas, segundo Eudoro, em torno
de 150 veículos.

O segundo ponto, alternativa de abastecimento, envolverá, entre outras
coisas, um diagnóstico, nas localidades por onde os carros-pipas
passam, da existência de poços e sua recuperação. “Deve-se observar
o potencial do local. Se há poços ou mesmo condições para que sejam
construídos novos”, explicitou.

O Dnocs e a Secretaria de Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará
(Seagri) estão fazendo levantamento do número de poços existentes
nos municípios em estado de emergência e contam, para isso, com o
apoio da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), que
já realizou um estudo anterior sobre o assunto.

“A prioridade será recuperar poços e dessalinizadores e a segunda
alternativa será a construção de novos poços. É uma tentativa de evitar
que daqui a três meses o número de carros-pipas suba para 300, pois
serão obras definitivas”, disse o diretor.

Em relação ao terceiro aspecto (obras estruturantes), o grupo decidiu
pela construção de novos poços, barragens ou a recuperação das já
existentes. Para estas construções, segundo Santana, a idéia é que
seja utilizada a mão-de-obra da população local.

Em relação ao quarto ponto, segurança alimentar, ele ressaltou que o
Estado já começou a fazer o cadastramento das famílias que irão
receber o recurso da Bolsa Estiagem.

Prioritariamente, a família que recebe outro recurso como, o Bolsa
Escola, não poderá ganhá-lo. “No entanto, poderão existir sim famílias
que necessitem receber mais este auxílio”, destacou.

Santana ainda ressaltou que, de 15 em 15 dias, o Governo Estadual
fará relatório sobre a situação dos municípios.

Participaram da reunião representantes da Seagri, Defesa Civil, CPRM,
Exército, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Funasa e Incra.


( * ) Matéria publicada no jornal Diário do Nordeste , edição de 13.07.05
Fim do conteúdo da página