Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial -> Serviço de Comunicação Social -> Notícias -> DNOCS realiza levantamento e instala mais poços em Sergipe
Início do conteúdo da página

DNOCS realiza levantamento e instala mais poços em Sergipe

Publicado: Quinta, 14 de Julho de 2005, 10h50 | Modificado por: | Última atualização em Quinta, 14 de Julho de 2005, 10h50 | Acessos: 1077
A Coordenadoria Estadual do DNOCS em Sergipe criou uma comissão com o objetivo
de levantar a situação de 263 poços artesianos e 22 dessalinizadores
localizados em 75 municípios do Estado, inclusive a capital, procurando
verificar, num período de 60 dias, o estado de conservação, funcionamento,
situação das bombas, chafarizes e poços abandonados. O trabalho está sendo
objeto de relatório, cujo diagnóstico apontará as ações a serem efetuadas para
recuperação e funcionamento dos aparelhos.

Simultâneamente a esse trabalho, o Departamento está perfurando 33 poços
públicos em 22 municípios, com a finalidade de abastecer com água de boa
qualidade as localidades mais carentes. De acordo com o Coordenador da
CEST-SE, José Marcionílio da Rocha, a instalação desses poços vem sendo
efetuada próximo às escolas, postos de saúde, praças e vias públicas, visando
melhorar a qualidade de vida da população, diminuindo as doenças provocadas
pela água de procedência duvidosa, reduzindo em grande escala a mortalidade
infantil. A população beneficiada está estimada em mais de 8.000 pessoas. A
CEST-SE prepara licitação objetivando perfurar e instalar mais 15 poços e
implantar três dessalinizadores.

Em Aracaju, por ocasião da falta de água na capital sergipana, o DNOCS
instalou seis pontos de água em seu poço localizado na área da futura sede,
cuja vazão é de 10.000 litros por hora de água potável, para servir a
comunidade, atendendo a mais de 20.000 pessoas. O Departamento cedeu, ainda,
três caixas-dágua conectadas, com capacidade de 5.000 litros, ao 28º Batalhão
de Caçadores, o que viabilizou a implantação de uma horta naquela unidade do
Exército Brasileiro, para suprir a necessidade de seu contingente e também
para suprir a escassez de água que ocorreu na capital sergipana.
Fim do conteúdo da página