Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial -> Serviço de Comunicação Social -> Notícias -> Parlamentares pedem socorro em favor do DNOCS
Início do conteúdo da página

Parlamentares pedem socorro em favor do DNOCS

Publicado por: Francisco de Assis Soares de Sousa | Publicado: Sexta, 01 de Dezembro de 2017, 10h12 | Última atualização em Quinta, 07 de Dezembro de 2017, 09h54 | Acessos: 6740

Audiência Pública na Assembleia Legislativa, ressalta a importância da Autarquia para o Semi-árido brasileiro. 

 

pS

A audiência, realizada ontem, 30, na Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do estado do Ceará, atendeu a requerimento do deputado estadual doutor Santana (PT), que exaltou “É uma situação extremamente difícil, enquanto o Governo Federal faz ataques sem precedentes aos servidores públicos, escondido sobre o manto da austeridade contra os trabalhadores, e não contra os gastos absurdos feitos em várias instâncias”- “o momento é de luta e sensibilização para mudar a política em relação ao Dnocs”.

Tentaram matar o Dnocs por meio de lei, ressuscitaram e agora tentam matar de fome ao não dar os recursos necessários para fazer seus projetos e transmissão de conhecimento. Vamos mostrar o tamanho do Dnocs e a importância que tem para o Nordeste”, defendeu o presidente da Comissão de Meio Ambiente da AL, deputado Roberto Mesquita (PSD).

Diretor-geral substituto do Dnocs, Roberto Otto Penna explicou que a autarquia é um órgão técnico e social, por levar água, bem-estar e vida para o povo. “Não podemos deixar que esse órgão tão importante para o semiárido e para o País seja extinto. Estamos em uma grande luta e, com iniciativas desse tipo (audiência pública), vamos dar continuidade a esse órgão”, afirmou.

O Eng.º Civil do Dnocs José Augusto Tostes ressaltou as obras que estão sendo realizadas pelo órgão no Ceará, com previsão de conclusão até 2018. As ações contaram com investimento de R$ 41,2 milhões. Foram citadas, por exemplo, a recuperação do açude Castanhão; a construção da barragem Barbosa, em Lavras da Mangabeira; a instalação do perímetro irrigado Ema, no município de Iracema, e a ampliação do açude Itapebussu, em Maranguape. Em 2018, está previsto o início da construção da barragem Fronteiras, em Crateús.

Contudo, segundo o engenheiro civil, faltam recursos para a conclusão de projetos de irrigação. No Ceará, estão paralisadas a segunda etapa dos perímetros irrigados Baixo Acaraú (que abrange os municípios de Acaraú, Bela Cruz e Marco) e Araras Norte (em Varjota e Reriutaba).

Outro problema enfrentado pelo Dnocs, conforme Augusto Tostes, é a redução do quadro de pessoal ao longo dos anos. “O Dnocs vai perdendo força, porque o trabalho vai ficando concentrado nas mãos de poucas pessoas”, lamentou.

O presidente da Associação dos Servidores do Dnocs (Assecas), Roberto Morse de Sousa, resumiu que o maior problema do órgão é orçamentário. Ele lembrou que, há alguns anos, a associação esteve em Brasília para solicitar a realização de concurso público e o aumento de repasses de recursos. “A autarquia precisa sobreviver e dar condições aos que ali estão de trabalhar”, apelou Roberto Morse.

O diretor de produção do Dnocs, Felipe Holanda Belchior, afirmou que a instituição tem sua especificidade, pois é focada exclusivamente no semiárido. “Tudo que o Dnocs fez veio atenuar as questões da seca, que antigamente causava um êxodo de pessoas para as capitais. Esse desespero tem sido atenuado, e todas as ações são necessárias”, destacou o diretor.

O chefe de Comunicação do DNOCS, Aluisio Ferro Gomes, indagou a Comissão, “onde estão os governadores do Nordeste que deram as costas ao DNOCS, principalmente o do Ceará. Que antes de sua eleição mandou carta ao DNOCS, afirmando que faria tudo pela revitalização do DNOCS”

Também participaram da audiência pública o assessor da diretoria executiva da Assecas, Aluísio Bastos Pereira; o diretor de Ação Social da Assecas, Evandro Bezerra; Geraldo Costa, aposentado e assessor da Assecas, o engenheiro civil aposentado do Dnocs Cássio Borges; o gerente-executivo do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Luciano Ximenes, e o professor do Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal do Ceará (UFC) Raimundo Nonato Távora Costa.

Estiveram presentes também, o chefe de gabinete do DNOCS, Rogério Pinheiro, o chefe da Divisão de obras, Engenheiro Roberto Sérgio, a chefe da Biblioteca Anesia Vieira Bayma, o chefe de Recursos Humanos Marley Cisne, os servidores Sigefredo pinheiro, Regina Fátima, Moisés Gadelha, Rosicler Aragão, Clésio Jean, George Pontes, Fernando Benevides, Maria Irismar, Leidiane Maia, Iane Tomé, entre outros.

 

AE  TP   

Ad oksb

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fim do conteúdo da página