Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui: Página inicial -> Divisão de Comunicação Social -> Dnocs deve concluir adutora de Currais Novos esta semana
Início do conteúdo da página

Dnocs deve concluir adutora de Currais Novos esta semana

Escrito por Iane Tomé | Publicado: Terça, 08 de Agosto de 2017, 11h26 | Última atualização em Terça, 08 de Agosto de 2017, 11h26 | Acessos: 223

lllllllljj

 

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS informou que deverá concluir as obras da adutora emergencial de Currais Novos, que também atenderá Acari e outras cidades da região do Seridó, até fim desta semana. A afirmação é do diretor administrativo e financeiro do órgão, Gustavo Medeiros. A adutora tem 82 km de extensão e custou R$ 35,2 milhões para ser construída.

“Faltam assentar apenas 300 metros de tubulação para concluir a obra, mas esse serviço não interfere no funcionamento da adutora. O equipamento está operando, e a água já está chegando a Currais Novos e Acari”, garantiu Medeiros. O diretor administrativo e financeiro do Dnocs adiantou que “após os testes a adutora passará a ser gerenciada pela Caern, que irá operar mesmo que de forma temporária até o fim do período de testes”.

A nova adutora emergencial de Currais Novos é abastecida pela barragem Armando Ribeiro Gonçalves. Maior reservatório do Rio Grande do Norte, com capacidade para armazenar até 2,4 bilhões de metros cúbicos de água para consumo humano, a ARG está com 16,81% de sua capacidade – o equivalente a 403,3 milhões de m³.

Também de acordo com o Instituto de Gestão das Águas do Estado do (Igarn) outros dois principais reservatórios também registram baixos níveis de água: a barragem de Santa Cruz do Apodi (também para consumo humano) está com 19,28% da capacidade, ou 115,6 milhões de m³; e a barragem de Umari (para uso na irrigação e alimentação de animais) que registra 19,58% da capacidade, ou 57,3 milhões de m³. “A crise hídrica no RN persiste, e as regiões do Seridó e do Alto Oeste são as mais afetadas”, disse Josivan Cardoso, presidente do Igarn.

Fonte: http://www.tribunadonorte.com.br/

Fim do conteúdo da página